SUA BANDA SABE ENSAIAR?

Parece algo simples, não e mesmo? Mas sabia que muitas bandas têm dificuldades para montar uma logística de ensaio que realmente vá render um bom entrosamento musical, uma boa experiência e aquela sensação de dever cumprido?

O que vou escrever aqui não é regra, mas são pequenos passos que podem auxiliar você e seus “band mattes” a terem um ensaio realmente produtivo.

Fiz essa seleção de tópicos baseado na minha experiência de mais de 15 anos ensaiando em diversos estúdio, com diversas bandas. No final a receita base para o “sucesso de um ensaio” é praticamente a mesma, sem contar com as devidas individualidades de cada banda e estúdio.

A primeira coisa que eu quero deixar bem claro é que se você tem aquela banda de fim de semana, que se reúne esporadicamente para tirar um lazer, este texto não é para você. Mas se você quer atingir um nível mais interessante de produtividade (independentemente se você toca cover ou autoral), aqui vão algumas dicas bem legais – e no final ainda tem um bônus.

ENSAIAR PRA QUÊ?

A primeira coisa que precisamos pensar é a finalidade do ensaio: será o ensaio para um show específico, um ensaio para entrosamento geral, vamos ensaiar apenas para repassar as músicas ou vamos passar uma música específica?

Bom, para todas as ocasiões acima existem diferentes formas de ensaiar, mas algumas situações básicas não fogem a regra.

O ENSAIO NÃO COMEÇA NO ESTÚDIO

Essa é a parte chata!

É extremamente importante que todos da banda tenham tirado as músicas em casa, antes de ensaia-la em estúdio. Você pode tirar as músicas de ouvido, olhando tablatura, lendo partitura, usando Guitar Pro. Não importa, o que importa é tira-la – e aí vai o primeiro empecilho: O elemento “comunicação”. As vezes vocês combinaram de tirar, por exemplo, “Learn to fly”, do Foo Fighters, mas um tirou a versão de estúdio, o outro tirou a versão ao vivo em Londres 2012, o outro tirou a versão em que existe um parte C diferenciada dentro da música. Na hora que chegar no estúdio essa música pode até sair, mas não vai sair de primeira e vai tomar um tempo extremamente desnecessário do ensaio.

Então é interessante que, na hora de escolher a versão, seja uma que todos estejam de acordo.

ACORDA, P*RR@!

Acordar mais cedo para chegar mais cedo no estúdio é algo muito importante.

Como dito antes, o ensaio não começa no estúdio. Você pode fazer um check-list e colocar os equipamentos no carro com meia hora de antecedência de sua saída. Ou se for ensaiar pela manhã, fazer isso na noite anterior.

Aliás, se o ensaio for pelo horário da manhã, é importante ter uma boa noite de sono, de preferência sem excessos. (Se você é aquele cara que chega para ensaiar virado da noite anterior, você está ERRADO! – Lembre-se, o mundo da música já é tratado de forma amadora por 90% das pessoas do mundo. Não faça parte delas).

Chegar mais cedo otimiza o seu tempo e o dos demais integrantes. Também é interessante para colocar o papo em dia enquanto não entra na sala de ensaio.

Esse meio tempo também pode ser produtivo para o ensaio. Partimos da ideia de que os instrumentos de cordas chegarão afinados e o vocalista estará com a voz aquecida (caso não, utilize esse tempo para isso). Eu ensaiei com um baterista que ele não usava os pedestais do estúdio, somente os dele. Uma forma de otimizar e agilizar que encontramos era ajuda-lo nas montagens dos 35 milhões de pratos que ele usava

Caso seu baterista também tenha esta preferência, vocês podem auxilia-lo com a montagem (e se ele recusar ajuda, espero que ele seja o cara que chega mais cedo que todo o resto da banda hahaha).

CONCENTRAÇÃO MÁXIMA!

Ao adentrar na sala de ensaio uma coisa que você pode pensar é: TEMPO É DINHEIRO. Cada segundo que passa ali você está investindo sua grana, então deve-se fazer valer a pena.

É importante que todos estejam focados na hora de entrar na sala de ensaio. Comumente perdemos muito tempo conversando paralelamente. Lembre-se: você chegou mais cedo e conversou bastante lá fora, vamos focar no ensaio agora.

Todos devem investir o mínimo de tempo possível na montagem e regulagem de seu equipamento. Isso não significa que é para você fazer algo porco. Mas sim para você buscar entender como seu instrumento funciona antes mesmo do ensaio. Qual a equalização/montagem que ele precisa e que você prefere? Você provavelmente não vai conseguir essa regulagem de primeira, mas pode ir ajustando durante os ensaios. Antes de iniciarem, tente chegar o mais rápido possível num timbre/montagem agradável.

Uma boa comunicação com o técnico de som, para regular os volumes dos PAs e retornos, ajuda a bastante (alguns estúdios deixam essa regulagem nas mãos da banda, com a mesa de som no interior da sala de ensaio. Se você não sabe mexer, não tenha vergonha de pedir ajuda ao técnico. Se você sabe, regula lá e pau no gato).

COMEÇOU UMA BOSTA!

Geralmente a primeira música fica muito ruim, não é mesmo? Mas isso é normal, ninguém estava “quente”. Na segunda ou na terceira música a coisa já engrena, então vocês podem (e devem?) passar as músicas insatisfatórias novamente.

 

VOCÊ ESTÁ ENSAIANDO OU ESTÁ NA FÓRMULA 1?

É comum chegar um momento na banda que o entrosamento já está legal e vocês comecem a ensaiar de forma automática, parecendo que, ao passar as músicas, queremos “nos livrar delas”, tocando de forma tão rápida e displicente que nem percebemos que ficou ruim.

Isso também faz parte da concentração máxima. É importante estar focado, assim as chances disso acontecer são menores (mas somos humanos e isso vai acontecer, então reveja com seus amigos de banda o que é possível fazer para que um simples ensaio não caia na rotina. As vezes tirar uma música nova ou trocar a ordem das músicas durante o ensaio já podem ajudar).

Corre mais!

DROGAS DURANTE O ENSAIO

  • Redes Sociais e apps de mensagem.

Sim, hoje em dia tudo é imagem, mas temos que saber usar este recurso durante um ensaio. Fazer um story antes de entrar na sala de ensaio, e um durante uma música, tudo bem, élegal para mostrar aos seus seguidores, mas passar o ensaio com o celular na mão fazendo stories e mais stories (e as vezes pior: respondendo whatsapp) aí já é falta de respeito com os demais integrantes.

Sabemos e que existem situação a parte, quais os apps de mensagem instantâneas precisam estar ativos (eu já ensaiei com uma banda onde a mãe do vocalista estava no hospital, então entre uma música e outra ele olhava as mensagem no whatsapp) e até aí, OK. Mas ficar respondendo os amigos em conversas aleatórias, aí já é tiração.

  • Álcool

É comum hoje em dia os estúdios oferecerem um serviço de bebidas, mas isso não significa que o cara do estúdio quer que você entre com aquela cerveja dentro da sala de ensaio.

Vamos pensar racionalmente por 1 minuto:

  1. Você chegou mais cedo, pode beber a cerveja antes;
  2. Se você derrubar cerveja nos equipamentos, você vai ficar com uma cara de bunda muito grande e seus amigos e o dono do estúdio vão ficar muito putos, afinal aquele equipo vai precisa de reparo – e adivinha quem vai pagar?
  3. Você não precisa beber todas as cervejas da geladeira do cara. Beba uma, já está bom. As chances de se fazer um ensaio cagado são menores (se bem que tem gente que com uma latinha já chapa o globo – sim, EU kkk)
  4. E uma coisa que você nem percebeu: você também pode beber todas as cervejas do mundo DEPOIS do ensaio, assim ninguém tem o lado atrasado e você pode beber até cair na calçada.
Não adianta chorar a breja derramada!!
  • A namorada chata (ou o namorado, tanto faz)

Infelizmente eu já tive a experiência de ensaiar com um cara que sempre levava a namorada no ensaio.  Se todos da banda concordam, não tem problema – eu mesmo já levei – MAS… o problema não é a namorada estar no ensaio, é ela não saber o lugar dela durante o ensaio.

Já concordamos acima que é momento de concentração máxima, certo? Então, se a moça ficar falando “Tô cansada, vamos embora”, “tô com fome, vamos embora”, “Tô com calor, vamos embora” “blá blá blá”, além de desconcentrar a banda, desfoca o integrante namorador, que passa a querer ir se livrar do problema – Foi bem isso o que aconteceu comigo e adivinhem: o cara foi embora com uma hora e vinte de ensaio – afinal, problema não era a moça que ele levou no ensaio, o problema era a banda ensaiando.  (Vale um pé na bunda do cara, né? Obrigado pelos seus serviços, vamos atrás de outro integrante)

QUANTO PRA CADA UM?

Acabou o ensaio, vamos pagar.

Sejamos honestos, ir para um local sem ter a mínima ideia de quanto vai gastar é extremamente desconfortável, não é? Então por que você faz isso?

O pior é quando o indivíduo diz: eu avisei que estava sem grana – mas ele avisou só a mãe dele antes de sair de casa. Agora façamos o rateio para cobrir a parte do infeliz.

Outra coisa: Ajude o cara do estúdio, leve a grana trocada.  Se você sabe que vai gastar 25, leve uma nota de 20 e uma de 5, ou passe cartão, faz um pix. FACILITE! Dar uma nota de 100 para que eu cara tire 18,50 vai atrasar tudo – E sempre tenha uma grana a mais pra cobrir o idiota que “esqueceu” de avisar que estava duro.

No geral é isso: tudo vai de um empenho individual para que o coletivo aconteça. Vou deixar 3 dicas bem legais abaixo para que vocês possam render ainda mais o ensaio e, consequentemente, fazer shows incríveis:

1 – GRAVE OS ENSAIOS: de preferência áudio e vídeo – senão, só o áudio. Teste qual aparelho fica melhor para gravar: um celular, uma câmera DSLR, um gravador de som, uma Go Pro.

E quando puder, faz aquela captação ao vivo. Linha por linha. Assim vocês podem perceber onde podem melhorar e, também, se há algo fora;

2 – ENSAIOS PARCIAIS: Não sei se esse é o nome certo, mas vocês podem ensaiar só baixo e bateria, por exemplo. Isso ajuda muito. Ou guitarra e vocal. Ou só cordas, guitarra e baixo.

Encontrem as necessidades dentro das músicas que precisam ser revistas, as vezes não é necessário que esteja toda a banda

3 – DUAS HORAS POR SEMANA É O SUFICIENTE? Sim e não! Isso depende de cada banda, de cada músico. Muita gente vai dizer que sim devido a fraca sequência de shows (ou mesmo quando se tem uma forte sequência, mas o show será sempre o mesmo).

Pra mim, não. Sempre achei pouco. Ainda mais quando se tem muitas músicas a se passar. O importante mesmo é vocês sentarem e identificarem as necessidades do ensaio (e particularmente acho que todo mundo vai perceber que duas horas por semana podem não ser suficiente).

É isso, meu povo! Não deixem de comentar. De resto, bons ensaios e bons shows!

Aquele show incrível só depende de você!
Aquele show incrível só depende de você!

Este texto representa a ideia do autor


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *